RHecados: Que tal uma releitura nos projetos que você se propôs a fazer desde o início do ano e ainda nem se moveu?


quinta-feira, 9 de março de 2017

De CEO a CHO!

Pretendo comentar algumas das muitas situações que passam os Consultores Independentes, os chamados CHO´s (Consultor Home Office). Você virar um CHO, no momento atual que vivemos, pode ser mais uma alternativa de buscar trabalho e renda ao invés de emprego e salário. O principal quesito para você se transformar em um CHO chama-se “conhecimento adquirido”. Ao contrário de muitos consultores que só possuem uma excelente bagagem acadêmica, sua vantagem, dependendo da qualidade de seu conhecimento adquirido, é que, além disso, você possui conhecimento prático. Você que um dia foi contratante, agora pode virar contratado.

Quando saí da última empresa que trabalhei, como “Chefe de Relações Industriais”,  uma poderosa auto peças que logo depois foi comprada por uma multinacional durante o Governo Collor (como muitas), a primeira coisa que me passou pela cabeça foi criar coragem, sair da minha zona de conforto e tornar-me Consultor. Um CHO. Afinal, Consultor vende conhecimento adquirido e, àquela altura, eu tinha e tenho, absoluta convicção que poderia e posso vender conhecimento adquirido. Fui à luta para não mais viver aqueles incômodos períodos de “corte” tão comuns nas empresas.

Meu primeiro cliente foi uma distribuidora de veículos nacionais que por decisão de seu proprietário queria deixar de ser loja e virar empresa. A empresa estava em franca expansão e o mercado aquecido. Confesso que voltei a ter pensamentos de assalariado, pois atuei somente nessa empresa por quase cinco anos. Como Consultor! Por estar tão bem envolvido no mercado automotivo, depois desse cliente fui para outro do mesmo ramo e muito, muito mais forte. Também atuei por quase cinco anos. Como Consultor!

Consultor de verdade começou em 2002 quando passei a atuar por uma Universidade Federal em consultorias internas e consultorias externas na área pública. Em paralelo, também comecei a atuar novamente no mercado privado. Ora independente, ora associado.

Aí que entra o objeto desse artigo. Antes, porém, quero comentar sobre o que é ser CHO sob meu ponto de vista (algumas observações você já está farto de saber). Em primeiro lugar você tem que ter disciplina e disciplina significa manter o horário comercial de segunda a sexta feira, tendo ou não serviços contratados, para assegurar o pique de trabalho. Nada de acordar às 10:00 horas de uma segunda feira útil. Nada de trabalhar em casa de pijama, bermuda ou afins. Essas vestimentas além de atrapalhar a autoestima, ti deixam com cara de “largadão”! Resista e fuja dos jogos da Champions League!

Monte um mini escritório em sua casa onde só você e somente você tem acesso livre e sem crachá.

Prepare seu celular, seu notebook, seus livros e seu pensamento!

Quando a época é sem contratos, leia seus arquivos, trabalhos já realizados, pesquise bastante na internet (você tem tempo para isso, pois não é assalariado!). Visite outros amigos consultores, pesquise redes sociais, pesquise e-mails de empresas que você poderia vender seus serviços, confeccione um cartão de visitas e mantenha-os sempre no bolso (nunca se sabe!).

Um fato importante que você tem que aprender é quando você vende um trabalho e a equipe do cliente lhe trata bem ou é em uma empresa similar àquelas que você trabalhava como assalariado, nunca imagine que você faz ou fará parte da equipe. Você foi contratado para um serviço com início, meio e fim. Só isso. Convença-se disso e faça o melhor, pois um bom trabalho gerará outros. Eu sei que em uma situação dessas dá uma saudade enorme dos outros tempos, mas esses outros tempos já se foram. O seu momento é agora. Aproveite-o intensamente, pois ele é somente seu.

Uma situação comum entre os Consultores Independentes é a concorrência com as grifes de mercado. Fui convidado para preparar uma proposta para uma grande empresa da área da saúde. O Diretor de RH, me conhecendo de tempos idos, me chamou. O dono dessa empresa queria três orçamentos, um de uma Consultoria Multinacional, outro de uma Consultoria Nacional e outro de um Consultor Independente. O projeto era para a reestruturação total de todo elenco de cargos e carreiras, classificação e avaliação de cargos, pesquisa salarial e construção de tabelas especificas a cada grupo ocupacional.

Uma semana depois o Diretor de RH me telefonou e diz que tem uma notícia boa e uma ruim. A boa era que o meu orçamento era o melhor e a ruim era que o dono entendia que sozinho poderia faltar, ficar doente, atrasar, enfim, argumentos desse tipo. Passados mais alguns dias, outro telefonema. Agora só uma notícia boa. O dono entendeu que o preço da consultoria multinacional era excessivamente caro e ele queria essa, a multinacional. Resumindo, desenvolvi sozinho toda a estrutura de cargos (mais ou menos 400) com descrições e levantamento de competências e a pesquisa salarial. Após os seis meses de trabalho, cumpridos rigorosamente à risca, entrou a multinacional para fazer a avaliação e a montagem das tabelas e apor sua grife no bonito caderno, contendo todo o trabalho, inclusive o meu!  Só o trabalho, pois meu nome não constava do bonito caderno. Essa consultoria multinacional é excelente e altamente competente. Porém, a empresa de saúde citada, era apenas mais um cliente (o cronograma proposto nem foi cumprido).

Essa estória reflete bem as dificuldades que passam os Consultores Independentes. Não tem telefone fixo (costumam só indicar o celular) e não possuem espaço físico em um edifício comercial!

Outro fato não tão raro que pode ocorrer, é por você estar “desempregado” quando está sem contrato. Aí, uma consultoria pode chamar para “lhe ajudar!”. Pagam o mínimo possível e procuram absorver todo seu conhecimento!

Nosso mercado está repleto de consultorias e de consultores da melhor qualidade. Tanto associados quanto independentes. Empresários e RH´s, avaliem as possibilidades técnicas quando um Profissional CHO bate à sua porta. Pode ser tão bom quanto uma grife e costuma ser mais barato, pois não sustenta estruturas e funcionários.

CHO – Um dia você ainda vai ter um!

Carlos Alberto de Campos Salles
carh.consultoria@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, da discussão nasce a sabedoria!