RHecados: Pesquisa revela que a maior parte das práticas de gestão de talentos é muito complexa sem que a complexidade agregue qualquer valor significativo.


O talentoso vai sair? Deixa. Se não saiu hoje, amanhã sairá. Preocupe-se mais em reposição e menos em retenção, o caminho natural!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Me chamem de velha!

Eliane Brum - Jornalista, escritora e documentarista.

Muito bom artigo escrito pela Eliane Brum para a Revista Época

Na semana passada, sugeri a uma pessoa próxima que trocasse a palavra “idosas” por “velhas” em um texto. E fui informada de que era impossível, porque as pessoas sobre as quais ela escrevia se recusavam a ser chamadas de “velhas”: só aceitavam ser “idosas”.  Pensei: “roubaram a velhice”.  As palavras escolhidas – e mais ainda as que escapam – dizem muito, como Freud já nos alertou há mais de um século. Se testemunhamos uma epidemia de cirurgias plásticas na tentativa da juventude para sempre (até a morte), é óbvio esperar que a língua seja atingida pela mesma ânsia. Acho que “idoso” é uma palavra “fotoshopada” – ou talvez um lifting completo na palavra “velho”. E saio aqui em defesa do “velho” – a palavra e o ser/estar de um tempo que, se tivermos sorte, chegará para todos.
Leia Mais

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/eliane-brum/noticia/2012/02/me-chamem-de-velha.html?goback=%2Egde_3781552_member_131845328

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Depoimentos: Mais do mesmo

Criei a seção Depoimentos para vivenciar as dificuldades e virtudes em Gestão de RH. Todos os depoimentos foram extraídos de grupos virtuais de redes sociais e os nomes das pessoas foram trocados e as empresas envolvidas omitidas, para preservar a privacidade. Os textos foram mantidos no original. O objetivo é criar um forum permanente do cotidiano através de depoimentos reais para, quem sabe, buscar melhorias contínuas no "Pensar RH!" O anúncio de vaga postada gerou esse  depoimento.

"Mais do mesmo - Prezados(as),não preciso questionar o motivo pelo qual, mesmo q meu cv preencha todos os seus requisitos técnicos descritos, jamais recebo uma resposta.  Seu anúncio responde minha pergunta. Ainda assim, a título de contribuição, informo e pergunto:estratégico é com "g", como saber se resido próximo ao local de trabalho? Sou-lhe grata por esclarecer o porquê de não haver oportunidade para um cv como o meu, aos olhos das "consultorias de recursos humanos", em geral, atualmente. 
Sinto muito haver utilizado o seu anúncio especificamente para tal, uma vez que o mesmo não se apresenta como exceção e sim como regra, dentre as dezenas de anúncios que consulto todos os dias. 
Sinto muito que seu anúncio tenha sido a "gota d'água" e sugiro-lhe que não considere minha resposta como algo pessoal; é apenas uma contribuição mesmo.  Quem sabe outros candidatos possam se beneficiar de um nível melhor nas relações com os respectivos profissionais de r&s.... quem sabe, no futuro, eles possam se sentir orgulhosos e desafiados por serem entrevistados por pessoas de alto nível - capacitadas de fato para julgar suas competências e decidir sobre a vida das pessoas e das organizações?...
Sou profissional experiente - talvez demais para os seus conceitos, parâmetros, critérios e bagagem profissional mesmo.  Eu vivi o tempo em que uma entrevista era um agradável exercício de aprimoramento profissional - e nunca uma perda de tempo. Através delas, galguei posições crescentes no mercado, sempre com grande sucesso e satisfação profissional, até a juniorização e a terceirização irresponsável dos deptos de r&s das empresas repercutirem nesta situação em que nos encontramos hoje, muito bem representada por este seu anúncio, apenas como exemplo. Talvez eu não tenha novamente o prazer de uma entrevista instigante, de uma troca de idéias e contatos em alto nível, que beneficie ambas as partes, "No matter what" aconteça depois.  Mas deixo minha contribuição para a reflexão sobre o futuro dos novos profissionais experientes que se formam dia após dia - até mesmo e principalmente os próprios profissionais de r&s, porque eles também amadurecem e provarão de seu próprio veneno, se nada for feito a respeito, se não se aprimorarem e respeitarem os profissionais com quem se relacionam.que o melhor aconteça a todos nós.  Obrigada por sua atenção."
 Publicação que gerou o depoimento

Empresa de grande porte no contrata: Profissional da área de marketing. Experiência sesejada:   Criação de arte e edição, webdesign. Características pessoais desejadas: A candidata deverá ser: Pro ativa Dinamica, Possuir boa apresentação e comprometimento. Tarefas a serem desempenhadas: Criação de anúncios , posicionamento de marca, planejamento estratéjico e endomarketing. Residir proximo ao local de trabalho.  A empresa oferece: salário (pretensão salarial)+ vt + vr(R$8,00).·         Residir próximo ao local de trabalho.   Os interessados devem encaminhar currículo para .... e colocar no assunto  Profissional área de marketing."

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Curhtas e Rhápidas: As 7 dimensões da Comunicação Verbal

Reinaldo Passadori 

Os requisitos básicos podem ser sintetizados em sete aspectos, que chamamos de As 7 dimensões da Comunicação Verbal. São elas:

Comunicação intrapessoal - Trata da autoestima, autoconhecimento, percepção das qualidades já existentes e, se conscientes, refletem segurança, calma, autocontrole.

Comunicação interpessoal - Aborda a percepção do outro, nas suas reais condições, nos seus momentos psicológicos, considerando cultura, tradições, temperamento, para a partir dessa percepção ajustarmos nossa linguagem para haver uma real interação com elas.
Voz - Instrumento que precisa sempre ser afinado e ajustado por meio de exercícios, para que tenhamos boa dicção, clareza, musicalidade e teatralização, tornando nossa fala envolvente e encantadora, expressando as emoções adequadamente.

Expressão corporal - Envolvendo os gestos, a expressão facial, a postura, a elegância, nosso marketing pessoal, o olhar e a coerência entre o que falamos e como expressamos por meio do nosso corpo aquilo que falamos.

Técnicas envolvendo o ambiente, recursos audiovisuais - Toda a parafernália eletrônica utilizada em uma apresentação, além da iluminação, disposição da sala, ar-condicionado, fios, cabos, tomadas, etc.

Dimensão intelectual - Correspondente à estruturação do pensamento, como começar, desenvolver e concluir uma apresentação, sabendo utilizar a gramática, o vocabulário, eliminando os vícios de linguagem e coerência no desenvolvimento dos pensamentos.

Dimensão espiritual - Que foca os valores, a responsabilidade social, sustentabilidade e congruência entre o que a pessoa fala e faz. Ela evoca a percepção que cada um tem, ou deveria ter, sobre a responsabilidade de tornar o mundo cada vez melhor para se viver e a preocupação com as pessoas, no seu desenvolvimento como um todo.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Explicando o livre mercado para um ignorante econômico

Artigo muito bom de leitura

por Thomas Woods

 N. do T: o artigo a seguir apresenta aquela que talvez seja a melhor e mais clara explicação sobre o que é realmente o livre mercado - esse arranjo econômico tão vilipendiado e deturpado pelo establishment acadêmico e midiático, não obstante ambos não tenham a mínima ideia do que ele seja.

Todos nós já nos deparamos, ao navegar pela internet, com algumas postagens de blog completamente ignaras.  Na maioria das vezes, você simplesmente ignora o ignorante.  Afinal, você poderia passar o resto da sua vida corrigindo esses robôs automatizados que são incapazes de apresentar algum pensamento original ou inconvencional não importa o quanto você os estume.  Todas as bobagens que o professor da sétima série os ensinou continuam absolutamente intactas em suas mentes.

Entretanto, ocasionalmente, para o bem da sua própria consciência e para o bem daqueles leitores que suspeitam que toda a ladainha está errada, mas que não sabem exatamente onde está o erro, você vai à forra e solta uma resposta completa.  E é isso que estou fazendo aqui em resposta a um tópico chamado "Peter Schiff: Os Usuários do Medicare [espécie de seguro-saúde financiado pelo governo dos EUA] São Preguiçosos que se Recusam a Pagar Pela Própria Saúde"
Leia Mais