Belo dia para rever os processos de gestão de Recursos Humanos. Extremos de preciosismo e de tecnicismo podem ser repensados.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

PNL: A Ciência da Excelência - A Arte da Mudança - Parte I

James Lawley e Penny Tompkins
A PNL tem certas máximas, duas das quais são:
"Se você sempre faz a mesma coisa, vai obter sempre o mesmo resultado!"
"Se o que você está fazendo não está dando certo – faça algo diferente."

"Sim, mas como"? você poderia perguntar.
Ao contrário de outras abordagens que dizem O QUE você precisa fazer, a PNL é a tecnologia do COMO. Ela diz e mostra COMO alcançar o que você quer e COMO se tornar aquela pessoa que alcança as metas que você quer. Desta maneira você poderá ter agora o sucesso pessoal que tanto quer!

Com a PNL nós podemos escolher o que queremos mudar, e como queremos fazer essa mudança.
A minha introdução à PNL foi com um amigo nos Estados Unidos cujas vendas haviam saltado 40% em um ano após seu treinamento em PNL. Depois de algumas pesquisas, eu decidi fazer um treinamento de PNL, pensando "Se esse "remédio" funciona, qualquer um pode fazer isso". A fim de testar os princípios da PNL e me convencer do seu mérito, eu decidi aplicar as técnicas ao meu peso – um problema de longa duração. Tendo feito dieta toda a minha vida, eu estava convencido que "regime deixa você gordo". Então a comida e o tamanho do corpo tinham algo a ver com a mente. Joguei fora a minha balança. E, sem perigo e sem esforço, perdi vinte quilos, eu que pesava 120 quilos nos últimos dois anos.

Como foi que funcionou? Pela aplicação da PNL e examinando minhas crenças, capacidades e comportamentos sobre a minha comida. Uma parte importante desse processo, e que me surpreendeu, foi constatar que eu me beneficiava por estar com excesso de peso. Logo que eu me tornei consciente disso, a PNL forneceu as ferramentas pelas quais eu podia satisfazer esses benefícios de maneira mais saudáveis e emagrecendo. Os métodos que eu apliquei para atingir meu tamanho natural podem ser aplicados em muitas áreas: para criar confiança, motivação, vendas, melhorar a memória, desempenho atlético, aprendizado de estratégias – para qualquer coisa que os humanos fazem e
querem saber COMO fazer melhor. Existe um ditado "Se isso funciona, deve ser PNL!"

O INÍCIO

No início de 1970, enquanto Tom Peters estudava a excelência nas organizações e procurava as estratégias vencedoras, um lingüista, John Grinder, e um matemático, Richard Bandler, estudavam as pessoas que eram excelentes comunicadores e peritos em mudança pessoal. "Qual é a diferença entre alguém que é apenas competente e alguém que se distingue na mesma habilidade"? era a pergunta feita por Grinder e Bandler. As respostas produziram a PNL: A Ciência da Excelênciam, A Arte da Mudança.
ANTHONY ROBBINS

Mais e mais pessoas estão começando a perceber o impacto que a PNL pode fazer na sua vida. Por exemplo, o principal treinador de performance, Anthony Robbins diz "Eu acho que uma pessoa especial, admirada por todos, foi o cavalheiro chamado Dr. John Grinder, que criou a ciência da mudança, e que foi chamada de programação neurolingüística. Foi uma das coisas que me deu a minha vantagem competitiva. Eu acho que a vantagem número um é a tecnologia da mudança".

Outros, também, reconheceram o poder da PNL. A revista Time informa: "A PNL tem potencial armazenado para o tratamento de problemas individuais e se tornou o programa e a tecnologia para o auto-aperfeiçoamento em todos os sentidos."
O QUE É PNL?

PNL significa Programação Neurolingüística e inclui os três componentes mais influentes envolvidos em produzir experiência humana: a neurologia, a linguagem e o padrão. Nós estamos em contato com o mundo exterior através dos nossos cinco sentidos: visão, audição, tato, olfato e paladar. A nossa neurologia recebe estímulos externos e os representa para nós com um conjunto combinado de "representações internas". Essas formam a nossa experiência subjetiva. O nosso mundo interno é feito de imagens que nós enxergamos no nosso olho da "mente". São as conversas, diálogos e debates que temos com nós mesmos no pensamento. São as nossas sensações e emoções sobre as quais estamos acostumados a pensar que não temos nenhum controle. Um ponto importante a perceber é que a nossa experiência é criada pela combinação dessas representações internas que formam padrões ou "programas" que se repetem. Esses padrões (ou hábitos) ocorrem repetidas vezes a não ser que sejam interrompidos ou redirecionados. É como um disco que toca a mesma canção a menos que você grave outra.

PESQUISA CIENTIFICA
O Professor Gerald Edelman, ganhador do Nobel, passou trinta anos pesquisando como funciona o cérebro. Ele conclui que nós arrumamos as dez bilhões ou mais de células cerebrais e nervosas em grupos a fim de formar "mapas" que respondem pela nossa experiência. Esses mapas nos permitem
compreender o mundo e a nós mesmos. As conexões entre as células que são frequentemente estimuladas irão sobreviver e prosperar; as outras atrofiam ou são desviadas para outras tarefas. Ele declara: "É um caso simples de contatos que quando funcionam de novo, funcionam melhor". A fobia é um bom exemplo de como funciona o cérebro. Uma situação particular ou um gatilho (altura, aranhas, etc.) produz uma reação física particularmente forte (palmas suadas, respiração acelerada, pânico, etc.). O cérebro aprende rapidamente e depois disso, cada vez que a pessoa é apresentada ao mesmo estimulo, seu corpo sabe que tem que ter a mesma reação. O surpreendente é que as pessoas com fobias NUNCA se esquecem de ter essa reação. Isso é uma estratégia de aprendizado do passado perfeita! Estivemos recentemente nos Alpes Austríacos, e lá encontramos uma mulher que estava esquiando nas suas férias e que tinha medo de altura! Ir do hotel até o topo da montanha exigia uma viagem de 20 minutos na gôndola aérea. Desnecessário dizer que ela não estava apreciando suas férias. Ao conduzi-la pela Cura da Fobia da PNL, em cerca de uma hora sua reação medrosa se tornou apenas outra memória; apesar de que ela ainda tivesse que se convencer. O acaso porém se fez presente, pois no dia seguinte o sistema de gôndolas quebrou e a deixou suspensa a dezenas de metros de altura no ar. Para sua grande surpresa, embora não tenha sido uma experiência agradável, ela não "lembrou" de ter a velha reação fóbica. AGORA sim, ela estava convencida!

Do mesmo modo que esse padrão automático nos cria dificuldades na fobia, ele funciona a nosso favor quando nós amarramos os cordões do sapato, dirigimos o carro, ou fazemos um milhão de outras coisas sem ter que pensar. Por isto a PNL é a exploração de COMO cada indivíduo experimenta o seu próprio conjunto único de padrões. Com a PNL nós podemos identificar que padrões nos dão recursos e nos são úteis. Então podemos escolher acrescentar novos padrões ao nosso comportamento e sermos mais produtivos naquelas situações onde tivemos baixa performance no passado. Se nós entendemos como nós somos da maneira que somos, podemos criar escolha sobre como nós gostaríamos de ser no futuro.

Penny Tompkins & James Lawley

Penny and James have both been UKCP registered neurolinguistic psychotherapists since 1993, supervisors, coaches in business, and certified NLP trainers. They co-authored Metaphors in Mind: Transformation through Symbolic Modelling and a training DVD, A Strange and Strong Sensation. They are the founders of The Developing Company and creators of Symbolic Modelling which uses the Clean Language of David Grove.



Ana Lúcia de Mattos Santa Isabel - analucia@orioncomunicacao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, da discussão nasce a sabedoria!