RHecados diários: O que fazer quando o discurso de Recursos Humanos costuma a ser diferente do discurso de alguns gestores? Busque a concordância e realinhe o foco!

quarta-feira, 4 de maio de 2016

RHECICLANDO é um espaço para vivenciar as dificuldades e as virtudes em Gestão de RH!


RHECICLANDO é um espaço para vivenciar as dificuldades e as virtudes em Gestão de RH. 

Todos os depoimentos são extraídos de grupos de redes sociais e os nomes das pessoas trocados e as empresas envolvidas omitidas, para preservar a privacidade. 

Os textos são mantidos no original

O objetivo é criar um fórum permanente do cotidiano através de depoimentos reais para, quem sabe, buscar melhorias contínuas no "Rheciclar RH!" 

Se você quiser enviar um depoimento ou uma situação vivenciada que mereça uma divulgação envie por e-mail que eu publico - Vamos melhorar a relação com o RH! Sorria, você está sendo filmado!

carh.consultoria@gmail.com

"Maria teve sua primeira experiência no ano passado quando um rapaz de nome Antônio iniciou o processo seletivo. Nos dias seguintes sempre ligava de manhã para que Maria fosse à Avenida Paulista no mesmo dia de tarde. Nunca podia ser no dia seguinte.
Compareci todas as três vezes que me chamou e depois ele me ligou falando que eu havia passado e iria me encaminhar um e-mail para entregar os documentos. Detalhe, esse rapaz nunca mais me ligou e nem mandou ou respondeu meus e-mails. A segunda e última experiência faz duas semanas. Uma moça de nome Janice, me ligou e pediu para eu comparecer na Avenida Faria Lima. Chegando lá, eu e mais quatros candidatas ficamos mais de uma hora para ser atendidas e, para resumir, a selecionadora logo de cara demonstrou e falou de quem gostou, sem ninguém ter se apresentado. Quem ela gostou deixou se apresentar e as demais ela cortava e falava coisas desnecessárias. Como selecionadora o que me espantou foi a mesma nem saber ler direito os tópicos da apresentação e criar um mal estar falando de quem gostou, sem contar que a mesma disse que foi evangélica sem ninguém ter perguntado e ela mesma ameaçou  falando que quem colocasse o assunto religião na mesa, poderia ser  queimado na hora. Todas as candidatas riam discretamente da selecionadora fazendo caretas. Me indignei com a situação, agradeci e saí da sala. Procurei a sua gerente e falei o que se passava dentro da sala. Agradeci e fui embora. No dia seguinte me ligou duas das candidatas falando que a gerente foi na sala perguntar o que acontecia e elas me disseram que não abriram a boca porque estavam no meio de um processo seletivo muito importante. Detalhe, saí como boba. É isso, depois deste dia não tenho mais coragem de ir em uma consultoria de RH e sei que posso estar perdendo oportunidades.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem, da discussão nasce a sabedoria!